Disque Óleo na vanguarda da sustentabilidade no Norte do Estado

Por Daniela Abreu – Jornalista e Multiplicadora ODS

Empresa é pioneira na implantação de sistema de coleta de óleo de cozinha em Campos dos
Goytacazes
Se o medo de perder tira a chance de ganhar, não havia nada que impedisse o caminho da
família Joaquim Pereira de alcançar seus objetivos. São 20 anos de trabalho na coleta de óleo
de cozinha em Campos dos Goytacazes, o maior município do Estado do Rio de Janeiro. O
pioneirismo não é somente a vanguarda do pensamento sustentável, mas prova de confiança
em um mercado em expansão.
O empresário, Guilherme Joaquim conta que a mãe, Magda Joaquim é campista e depois do
casamento com Cláudio Pereira, o visionário obstinado da família, foi morar no Rio. Na capital,
o casal iniciou o trabalho na coleta do material altamente venenoso ao meio ambiente e
comum em todas as cozinhas. Um litro de óleo contamina 20 mil litros de água.
Depois de um tempo enfrentando a concorrência, Sr. Cláudio achou que o certo seria voltar às
raízes de sua esposa, no Norte do Estado onde, apesar do status de capital do interior, a
sustentabilidade ainda era um nicho inexplorado.
Guilherme assumiu os negócios da família em 2011, com a morte do pai e desde 2007 a
empresa é aliada a franquia Disque Óleo, que opera ainda no Rio de janeiro, Região dos Lagos
e Recife.
Quaisquer empresas que necessite do descarte de óleo de cozinha pode se cadastrar na
Disque Óleo. Além disso, associações de moradores e condomínios também podem se
mobilizar para iniciarem uma parceria.
“A partir de 10 litros, nós coletamos em qualquer lugar da região. Na sua residência, se juntar
qualquer quantidade a partir de 10 litros a coleta será feita”, frisa Guilherme.
Em empresas e locais de grande volume de óleo, após o cadastro é fixado um ponto de coleta,
onde é deixado um galão que é trocado semanalmente ou mensalmente, conforme a demanda
do parceiro. O retorno da doação é feita em material de limpeza, ou é estabelecido um valor,
dependendo da quantidade de óleo dispensada.
Todo o material coletado é revertido para a fabricação de sabão, da mesma marca doada na
implantação do sistema de coletas. Além da fabricação de sabão há aproveitamento do óleo
de cozinha na indústria de ração, asfalto, empresas da construção civil.
As equipes que fazem a manutenção dos pontos de coleta são devidamente cadastradas e
identificadas pela empresa e seguem todo o protocolo de segurança contra a Covid,
estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *